A Pianola

A pianola foi introduzida por volta de 1900. Em príncípio, era um dispositivo externo, instalado diante do teclado em pianos verticais ou em pianos de cauda. Mais tarde, o mecanismo foi construído dentro do piano, que passou a ter uma dupla função (uma vez que continuava podendo ser tocado à mão). Por meio de um mecanismo pneumático o piano pôde tocar automaticamente. Uma grande variedade de música tornou-se disponível na forma de rolos de papel perfurado, os rolos de pianola. Os pedais e alavancas manuais permitiam que quem tocasse pudesse influenciar o tempo, a expressão, tornando assim possível diferentes versões ou interpretações das peças musicais.

O piano de reprodução

O piano de reprodução foi a forma totalmente automática de reprodução da música através do mecanismo da pianola. Estes instrumentos irão reproduzir a performance do pianista que for gravada no rolo de pianola. Os rolos master de pianola para o piano mecânico foram feitos em um estúdio na fábrica de rolos, com equipamentos especiais ligados ao teclado.
A indústria de piano mecânico foi muito bem sucedida durante cerca de trinta anos. O seu sucesso foi baseado no fato  do instrumento fornecer músicas para as casas de pessoas abastadas. Desde o início da indústria, em torno de 1900, até o declínio nos anos de depressão na década de 1930, pelo menos, dois milhões destes instrumentos foram construídos. A produção total de rolos de pianola compreendia dezenas de milhares de títulos, cada um, muitas vezes, em  diferentes arranjos e andamentos.