O repertório era muito variado. Uma grande parte da música composta para o piano estava disponível nos rolos de pianola. Além disso, havia uma grande variedade de música orquestral em duas ou quatro mãos transcritas para a pianola, música clássica (sinfonias, prelúdios), música popular, ópera, opereta, música para dançar, canções. Qualquer música que possa ser tocada em um piano, poderia ser impressa em um rolo de pianola. Compositores contemporâneos como Strawinsky, Hindemith e Antheil foram inclusive tentados a fazer composições especiais que só pudessem ser executadas por uma pianola. Essas composições eram  demasiado complexas, para serem tocadas pelos dez dedos de um pianista, ou mesmo por vinte dedos de dois.

Os rolos de pianola

Os rolos de pianola eram feitos de papel fino, com as notas musicais sob a forma de furos no papel. Instruções para tocar estavam impressas no papel. Os rolos de pianola tiveram muitos formatos e tamanhos diferentes. Até 1910 não houve padronização: então, o sistema de 88 notas foi introduzido e esse padrão foi aceito em todo o mundo. A maioria dos rolos que foram produzidos eram no sistema de 88 notas. Só os rolos de pianola gravados para o próprio instrumento, poderiam ser reproduzidos por ele. Existem dezenas de diferentes tamanhos de rolos.